pix garantido

Pix Garantido: empréstimo pessoal ou limite de crédito?

O Pix vai completar no final de 2022 dois anos de existência. Desde o seu surgimento, ele foi responsável por revolucionar o sistema financeiro em nosso país, considerado até então muito concentrado e conservador.

Só para ter uma ideia, antes do surgimento do Pix as transferências de valores só poderiam ser realizadas em horário comercial durante os dias úteis. Quando feitas fora desse horário só eram creditadas no dia útil seguinte.

Hoje em dia, graças ao Pix podemos enviar transferências para pessoas e empresas a qualquer hora do dia, em qualquer dia da semana, sem a necessidade de esperar pelo próximo dia útil para sua compensação.

Agora, uma nova funcionalidade está sendo estudada e em breve deverá ser introduzida ao Pix. Trata-se do Pix Garantido que já chega como uma ameaça aos cartões de crédito.

Empréstimo pessoal ou limite de crédito?

Uma das grandes dúvidas que ainda circunda o Pix Garantido é como será o seu funcionamento. Até o momento, o que se sabe é que haverá um banco garantidor de crédito para os pagamentos agendados.

Dessa forma, quando um consumidor comprar um item parcelado, ele agenderá o pagamento das parcelas e quando chegar no dia, caso ele não tenha dinheiro para assumir o seu compromisso, o banco garante o pagamento para o credor.

Então esse consumidor ficará inadimplente com o banco, e começará a correr juros sobre o saldo em aberto até que ele seja pago. Passado um determinado tempo, se o cliente não acertar a dívida com o banco, o seu nome será negativado.

Entretanto, a principal dúvida é se o Pix funcionará como um limite do cartão de crédito ou como um empréstimo pessoal, pois há diferença entre ambas soluções.

Entendendo a diferença de empréstimo pessoal e limite de crédito

No empréstimo pessoal, o cliente passa a ter um limite de crédito para usá-lo como quiser. Nesse caso, é acordado uma taxa de juros que será paga nas próprias parcelas. Ou seja, o valor pago pelo cliente é maior do que o valor concedido pelo banco.

Já no limite de crédito, o banco concede um valor no cartão que o cliente pode usar por um prazo determinado sem precisar pagar juros por isso. Por exemplo, você pode fazer uma compra parcelada no cartão e se pagar a fatura em dia, não pagará nada de juros.

Então entra a questão: o Pix Garantido será mais parecido com qual dessas operações? Se o valor das parcelas pagas pelo cliente for exatamente igual ao valor da compra, ele será mais parecido com o cartão de crédito.

Entretanto, se incorrer juros nas parcelas mesmo sem estarem atrasadas, por exemplo, se uma compra de R$1 mil gerar 10 parcelas de R$105 ao invés de 10 parcelas de R$100, então ele será mais próximo de um empréstimo pessoal.

Diferença será determinante para popularização do serviço

Essa diferença ainda não ficou claramente definida pelo Banco Central. Ou seja, não se sabe ainda se haverá essa incidência de juros no Pix Garantido.

Contudo, ela será determinante para saber se esse serviço será capaz de ameaçar ou não o cartão de crédito. Se houver incidência de juros, quem tem um cartão de crédito ainda vai preferir continuar usando-o nas suas compras.

No entanto, se não houver cobrança extra, essa opção poderá colocar os atuais cartões de crédito sob ameaça. Resta saber agora como serão as cenas do próximo capítulo.

E você, ansioso pela chegada do Pix Garantido? Conta aí para a gente nos comentários, e não deixe de compartilhar essa matéria com todos os seus amigos nas suas redes sociais.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
PostS RelacionadOs
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram

Menu