O que é Conciliação Bancária? Saiba como fazer a sua [Guia Completo] 

A conciliação bancária é uma das atividades indispensáveis na administração financeira de qualquer empresa e de qualquer porte. Ela proporciona transparência em relação ao saldo bancário, garantindo a verificação efetiva dos recebimentos vindos de vendas de produtos ou prestação de serviços.

De forma simples, é fazer o levantamento de tudo o que pagou ou recebeu e comparar com os valores que entraram e saíram da sua conta bancária.

Um processo eficaz de conciliação bancária pode identificar quaisquer discrepâncias nos registros do seu negócio e ajudar a prevenir fraudes e roubos de sua conta bancária.

Sem a conciliação bancária você pode correr risco de perder dinheiro e qualquer roubo ou fraude que esteja acontecendo pode continuar, prejudicando sua empresa a curto, médio e longo prazo. 

Neste post você vai entender melhor o que é a conciliação bancária, para que serve e um passo a passo de como fazer isso na sua empresa.

Continue a leitura!

O que é conciliação bancária?

A conciliação bancária é um processo que compara e combina os registros financeiros de uma empresa com os extratos bancários, para garantir que sejam consistentes e precisos.

Com ele, é possível verificar se as compras e transações realizadas estão alinhadas com as registradas pelo banco no mesmo período, identificando eventuais omissões ou erros nos dados.

A prática de conciliação bancária é essencial e se torna parte integrante das operações de gestão financeira de diversas empresas, embora sua aplicação possa variar de acordo com a natureza do negócio. 

Por exemplo, para aqueles que recebem pagamentos por boletos, cartões de crédito, débito, Pix Cobrança e outros meios de pagamentos digitais, essa atividade desempenha um papel crucial na prevenção de possíveis prejuízos.

Nesses cenários, os valores das vendas ou prestação de serviços são diretamente depositados na conta bancária da empresa. A conciliação bancária, então, é a ferramenta que confirma se o crédito esperado foi de fato realizado, além de verificar os débitos relacionados às contas a pagar. 

Essa prática assegura uma visão clara e precisa das transações financeiras, garantindo que a empresa esteja ciente e no controle de suas finanças, independentemente do método de pagamento utilizado.

Para que serve a conciliação bancária?

O principal objetivo da conciliação bancária é verificar se há inconsistência de dados no controle financeiro da empresa. 

Porém, existem outras razões pelas quais realizar a conciliação bancária é fundamental para a saúde financeira e o sucesso operacional do seu negócio.

Conheça elas logo abaixo:

Controle das movimentações financeiras

A conciliação bancária ajuda a garantir a exatidão e integridade dos registros contábeis ao comparar os lançamentos no extrato bancário com as transações registradas no sistema interno da empresa. 

Isso assegura que todas as entradas e saídas de recursos estejam devidamente registradas, proporcionando uma visão precisa da saúde financeira da empresa e facilitando a tomada de decisões estratégicas.

Identificação de fraudes internas

Ao analisar minuciosamente as transações e confrontá-las com os registros internos, a conciliação bancária ajuda na identificação de atividades suspeitas, como desvios de recursos ou manipulações contábeis. 

Esse controle rigoroso contribui para a prevenção de fraudes, protegendo os ativos da empresa e mantendo a integridade do sistema financeiro. 

Além disso, uma conciliação eficiente e periódica cria um ambiente de transparência, desencorajando práticas fraudulentas.

Previsão de fluxo de caixa

Por meio da conciliação, a empresa analisa os saldos bancários e as movimentações financeiras passadas, podendo antecipar entradas e saídas de recursos e identificar padrões de comportamento. 

Isso vai ajudar a ter uma gestão mais eficiente do capital de giro, evitando surpresas e garantindo que a empresa tenha os recursos necessários para cumprir suas obrigações financeiras. 

Planejamento orçamentário efetivo

Ao conciliar as transações bancárias com os registros internos, a empresa tem uma visão clara de suas receitas, despesas e saldos disponíveis, permitindo a criação de orçamentos mais realistas e alinhados com a realidade financeira do negócio. 

Com informações precisas sobre o estado das finanças, os gestores podem estabelecer metas alcançáveis, identificar áreas de oportunidade para redução de custos e melhorar a eficiência operacional cada vez mais. 

Qual a diferença entre conciliação bancária e fluxo de caixa?

A conciliação bancária e o fluxo de caixa são conceitos distintos, mas ambos desempenham papéis importantes na gestão financeira de uma empresa

Conciliação bancária

Como você já viu aqui, a conciliação bancária é o processo de comparação dos registros financeiros internos de uma empresa com as transações efetivamente realizadas em sua conta bancária. O objetivo principal é garantir a precisão e a consistência das informações contábeis, identificando possíveis erros, omissões ou fraudes. 

Fluxo de caixa

Já o fluxo de caixa é uma ferramenta mais abrangente que se concentra na projeção e no acompanhamento das entradas e saídas de dinheiro ao longo do tempo. Ele não se limita apenas às transações bancárias, mas sim considera todas as fontes de receitas e despesas da empresa, incluindo recebimentos futuros, investimentos e financiamentos. 

O fluxo de caixa é essencial para a gestão ativa do capital de giro, permitindo que a empresa antecipe suas necessidades de liquidez, evite crises financeiras e tome decisões informadas para manter a saúde financeira a longo prazo.

Com que frequência você deve fazer a reconciliação bancária?

As melhores práticas sugerem que a conciliação bancária deve ser feita, pelo menos, uma vez por mês.

A conciliação semanal pode ser muito granular e demorada para a maioria das empresas, mas se a deixar por muito tempo os erros podem passar despercebidos.

Por que você não deve demorar para fazer uma conciliação bancária?

Se essa tarefa for adiada por um longo período, é possível que erros e discrepâncias se acumulem, impactando negativamente seus negócios e o fluxo de caixa. 

Considere o quão alto é o seu volume de transações e encontre um meio razoável que estabeleça um equilíbrio entre ser prático e ocupar seu tempo. Muitos optam por agendar a reconciliação antes das reuniões de controle de crédito, garantindo que os dados estejam o mais atualizados possível.

Isso significa que aspectos como o saldo do seu extrato bancário e o extrato de conciliação bancária serão relevantes e quaisquer taxas de serviço bancário ou receitas de juros de transações serão contabilizadas. Assim, todos terão uma ideia melhor da situação financeira e do saldo de caixa mais recentes da empresa.

Passo a passo: Como fazer conciliação bancária

O processo de conciliação bancária envolve várias etapas importantes para ser eficiente. Por isso, criamos um passo a passo para te ajudar com isso.

Confira!

Faça a prestação de contas

A primeira etapa da conciliação bancária é uma atividade essencial para sua empresa:  fazer um registro diário de todas as entradas e saídas nas contas bancárias.

Revise o extrato bancário

Depois, revisa o extrato bancário em busca de discrepâncias ou transações não identificadas. Isso inclui a revisão de todos os depósitos, saques, taxas e outras cobranças bancárias efetuadas.

Compare o extrato bancário com os registros internos

Nesta etapa, você deve comparar seu livro caixa e registros contábeis internos com os do extrato bancário, buscando diferenças em valores.

Ajuste os registros internos

Após a revisão e comparação dos seus registros bancários internos com os do extrato bancário, você deve ajustar seus registros contábeis para refletir quaisquer discrepâncias ou transações não identificadas.

Concilie as contas

Uma vez identificadas e ajustadas todas as diferenças, é necessário conciliar o saldo de caixa apresentado nos registros internos com o do extrato bancário, resumindo todas as transações ocorridas no período. Isso vai garantir que suas contas estejam equilibradas com precisão.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
PostS RelacionadOs
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram

Menu