pix

O Pix será capaz de acabar com o dinheiro? Entenda!

Não faz nem dois anos que o Pix chegou ao Brasil. Entretanto, ele já vem mudando a vida de todas as pessoas, tirando cada vez mais a necessidade do uso do dinheiro físico.

Recentemente, o Banco Central anunciou também que o Pix ganhará uma nova funcionalidade: trata-se do Pix Garantido que permitirá o parcelamento de compras.

Em vista disso, há de se pensar se o Pix acabará com o dinheiro e com o cartão de crédito no país, criando uma profunda digitalização dos meios de pagamentos.

As mudanças trazidas pelo Pix

A primeira mudança que o Pix trouxe foi em relação às transferências bancárias realizadas. Pois hoje dá para enviar dinheiro para outras pessoas a qualquer hora do dia e da semana.

Isso pode ser feito de maneira bem simples. Basta ter a chave Pix de quem vai receber o dinheiro e fazer a transferência. Ela não demora nem dez segundos.

A consequência é que como você pode transferir valores a qualquer hora do dia, em qualquer dia da semana, o uso do papel moeda diminuiu. Afinal, se você pode pagar um estabelecimento com Pix, para que sacar dinheiro?

O Pix Saque e Pix Troco

Embora a proposta do Pix seja facilitar o envio de dinheiro, o Banco Central criou duas funcionalidades que facilitam o saque via Pix. Trata-se do Pix Saque e Pix Troco.

Elas permitem que você vá até um estabelecimento e saque até R$500 durante o dia e R$100 no período noturno. A intenção é garantir mais comodidade para quem precisa do valor em espécie.

Note que diferente de um caixa eletrônico, os saques podem ser realizados a qualquer hora do dia também. Desde que tenha algum estabelecimento comercial próximo da sua casa cadastrado no Pix que funcione fora do horário comercial.

A chegada do Pix Garantido

Além das funções já disponíveis do Pix, uma funcionalidade que está prevista para ser lançada no ano que vem é o Pix Garantido. Mas como ele funciona?

A grosso modo, o Pix Garantido permitirá a compra parcelada de um produto usando o Pix. Funciona assim, você compra um item, por exemplo, no valor de R$2 mil.

Uma instituição garantidora aprova o crédito. O estabelecimento então vende o produto em 5 vezes para você. Desse modo, em um determinado dia do mês o valor é debitado da sua conta e creditado na conta do vendedor. Quem faz esse trâmite é a instituição garantidora.

Se não houver saldo suficiente na sua conta no dia, você ficará inadimplente com ela, e terá que pagar juros até regularizar a sua situação. 

A revolução chamada Pix

Como é possível ver, a incorporação dessas novas funcionalidades deixará o Pix ainda mais completo. E se ele já foi capaz de praticamente extinguir o DOC e TED, não há de se espantar que colocará em xeque os cartões de crédito.

Resta saber agora, alguns detalhes sobre como será o processo de aprovação de crédito e a adesão do sistema por parte das instituições bancárias.

E você o que acha dessa revolução chamada Pix? Deixe o seu comentário, sugestão e compartilhe essa matéria com seus amigos nas suas redes sociais.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
PostS RelacionadOs
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram

Menu